segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Pensamentos a respeito da educação...

Acho um tanto curioso a forma de como as pessoas abordam alguns assuntos.
Todos levantam a bandeira por uma boa educação... Mas será que essas mesmas pessoas agem de forma que realmente possamos acreditar nisso???
Todos os dias somos atropelados por milhões de impostos. E aqueles que deveriam investi-los a favor dos cidadãos, aproveitam-no (dinheiro) para seus "confortos" pessoais. E o povo, que têm o seu dinheiro "roubado" o que faz??? Reclama. Apenas isso.
A onda agora são campanhas pela educação nas redes sociais. Sabemos perfeitamente bem, que o nosso digníssimo país paga muito mal aos professores, aqueles que dedicam-se para a nossa formação. Mas será que podemos criticar muito o Governo quando nós mesmos ficamos acomodados diante de toda essa situação? É impressionante como as pessoas têm a coragem de dizer que as preocupações devem ser com coisas maiores. Exemplo: uma luta em um Grêmio Estudantil, a favor do respeito aos alunos, pode mudar muita coisa. Os alunos podem ter uma voz maior, conhecer muito mais sobre o meio acadêmico e lutar realmente por seus direitos... E o que dizer quando um grupo toma decisões por vontade própria, quando deveria NOS representar e eu digo que isso é uma besteira, que há "coisas maiores e menos ridículas" para preocupar-nos? Quem seria eu pra levantar a voz e dizer: "Deputado, o senhor tem que trabalhar por amor". Será que esse cometário deste ser não surgiu de uma coisa pequena (o fato de NINGUÉM REALMENTE LUTAR POR SEUS DIREITOS NA SOCIEDADE)?
Que levante a mão, aquele que não busca ascensão financeira (e pessoal também) ao fazer uma graduação. Educadores também pensam em dinheiro. Em condições "dignas" para sobrevivência. Mas não seria esta uma profissão de paradigmas???
Na faculdade, aprendemos que devemos querer uma educação voltada para o social. Mas há quem almeja dar aulas em grandes e renomadas escolas particulares... E onde fica o aluno com condições sociais desfavoráveis? Será que uma aula dada pelo mesmo professor em uma instituição particular, é a mesma em uma instituição pública? (não nos apeguemos apenas ao "desnível" intelectual, que infelizmente também faz parte dessas questões)
Há uma preocupação desenfreada a respeito de tecnologias para a educação. E as necessidades básicas dos alunos, onde ficam? É melhor uma tecnologia, do que uma refeição, ou também um ambiente minimamente digno para que passem os dias de estudos... Complicado, né?
Claro, que há muitos que vangloriam-se com o trabalho no ensino "público". Mas isso não dura muito tempo... Logo o "encanto" acaba, os alunos perdem a magia e tudo cai na rotina... (Conheço muitos que afirmam isso.) Precisa-se urgentemente de uma mudança no "Sistema", para que o sonho de muitas crianças seja concretizado: o de ser professor.
Será que não somos também um tanto hipócritas ao exigir uma coisa e praticamente ignorarmos "problemas pequenos" que um dia podem tornar-se "problemas grandes"???
Vamos refletir mais a respeito do que falamos, do que exigimos, pois muitas das vezes nosso "grito" será em vão. Nossas atitudes mostram muito sobre o que somos. Vamos realmente ser a geração da MUDANÇA. Chega disso de deixar que os outros resolvam por nós! Vamos dar a "cara a tapa". Vamos fazer diferente!
De nada adianta a "luta" se não formos às ruas defender com dignidade, aquele que nos trouxe até aqui por meio de sua formação.
Em períodos de folias como o Carnaval, nos dispusemos a ir às ruas esbanjar alegrias, sorrisos e euforia. Por que não fazer isso a favor dos professores? Agir da mesma maneira que os chilenos, que vão às ruas lutar por seus DIREITOS (http://www.youtube.com/watch?v=HTr_YOLq2wg&feature=youtu.be)?
Pensemos bem nisso... Pois quem faz a educação que tanto queremos somos nós mesmos, educadores, junto com os outros cidadãos brasieleiros...

Nenhum comentário:

Postar um comentário